logo evita

Missão

A EVITA tem como missão salvar vidas e melhorar a qualidade de vida de indivíduos e famílias afetadas pelo cancro hereditário.

Para alcançar esse objectivo, pretende:

Orgãos Sociais

A Evita constitui uma associação privada sem fins lucrativos e rege-se
pelo disposto no código civil, nos seus Estatutos e por um Regulamento interno.

ASSEMBLEIA GERAL

Presidente – João Pedro Antunes Milagre
Secretário – Adelaide Amélia Garcia de Sousa Richardson
Vogal – Liina Maria Milhazes Tinto

DIREÇÃO

Presidente – Jutta Tamara Irene Hussong Milagre
Secretário – Carlos Fernando Gouveia Afonso
Tesoureiro – Helder Eugénio Ribeiro Cabral Vieira

CONSELHO FISCAL

Presidente – Lídia Celeste Trocado Delgado Peleira
1º Vogal – Maria Rodrigues Leal Moitinho de Almeida
2º Vogal – Maria Manuela Alves Correia Cabral Vieira

História

A EVITA, na pessoa da sua presidente Tamara Hussong Milagre, representa os portadores de mutação genética com alto risco para cancro em várias organizações europeias e internacionais:

  • ABC Global Alliance
  • ERN GERNTURIS – European Reference Network for Genetic Tumor Risk Syndromes
  • Netzwerk Selbsthilfefreundlichkeit

Além disso, obteve o certificado de “Patient Expert” na Academia Europeia de Pacientes (EUPATI https://www.eupati.eu/, EUPATI Portugal https://pt.eupati.eu/) e trabalha continuamente em rede com dirigentes de outras associações de apoio a portadores de variantes patogénicas em genes associados a predisposição para cancro a nível da Europa e a nível internacional.

Testemunho de Tamara Milagre - Fundadora da EVITA

Um dia, depois de um episódio que me despertou para uma realidade que desconhecia, fiz o teste genético e descobri que tinha uma mutação genética no gene BRCA1. Com esta notícia, veio a necessidade de desabafar com pessoas que estivessem na mesma situação que eu, e de falar com alguém que respondesse às milhares de dúvidas que imediatamente me surgiram.

Mas depressa percebi que em Portugal – apesar de existirem várias organizações de apoio a pessoas com cancro – não havia nenhuma entidade dedicada a orientar os pré-viventes, ou seja, aqueles que conhecem o seu alto risco para a doença, mas que ainda não adoeceram.

A necessidade de criar uma associação de apoio a sobreviventes do cancro hereditário e aos seus familiares, passou a ser uma prioridade para mim e para todos os que comigo abraçaram este projeto.

Juntou-se a força de vontade e a dedicação de médicos, enfermeiros, psicólogos e utentes; desenvolveram-se ideias, reuniram-se os apoios necessários, e nasceu a EVITA. Um local para aqueles que, ao descobrir que podem vir a sofrer de cancro, precisam de um porto seguro, de um ombro amigo. Que precisam de saber que não estão sozinhos no mundo e que, apesar de tudo, continua a haver esperança.